Facebook

Américo Vespúcio, Florença 9 de março de 1454

Em 9 de março de 1454, nascia em Florença Américo Vespúcio, aquele que podemos considerar, legitimamente, o verdadeiro pioneiro da presença italiana no Brasil, bem como aquele que comandou a primeira grande expedição às terras brasileiras em 1499, não obstante o português Pedro Álvares Cabral.

A Associação de Amizade Itália-Brasil, ao final do ano comemorativo promovido pelo "Forum Amerigo Vespucci", dirigido por Leonel Ribeiro, decidiu apoiar a apresentação do projeto, junto à UNESCO, da candidatura das expedições de Vespúcio ao Brasil e ao continente americano, como patrimônio da humanidade. 

Navegador experiente e audacioso, o florentino Américo Vespúcio compartilha com Cristóvão Colombo a glória da descoberta da América. No curso de duas viagens (1499 e 1501), foi o primeiro a explorar quase toda a costa atlântica da América do Sul. Foi ele quem percebeu que as terras recém-descobertas não faziam parte da Ásia, mas de um Novo Mundo, que em 1507 o humanista e cartógrafo alemão Martin Waldseemüller propôs chamar, em sua homenagem, de "Americi terra", ou América. Foi ele o primeiro europeu a entrar na "Bahia de todos os Santos", no dia de Todos os Santos de 1501, para depois desembarcar no Rio, em 1º de janeiro de 1502.

Para nós italianos e para os milhões de ítalo-descendentes no Brasil tudo isso deve constituir, certamente, um motivo adicional de orgulho; uma referência histórica que, se isso fosse necessário, reforça ainda mais o vínculo indissolúvel entre os nossos dois povos, antes mesmo que entre os dois Países.

A história da Itália no Brasil, portanto, vem de muito longe e precede, em alguns séculos, a grande onda migratória do final do Oitocentos; em outras ocasiões, também tivemos a oportunidade de lembrar o papel muito importante, e muitas vezes esquecido, de outra ilustre precursora da presença italiana em solo brasileiro, a imperatriz Teresa Cristina de Bourbon. Foi graças a ela, como magistralmente lembrado e documentado pelo livro "Uma imperatriz napolitana nos trópicos", do saudoso Nello Avella, que os primeiros mestres artesãos e artistas do sul da Itália chegaram ao Brasil.

Com os 566 anos do nascimento de Américo Vespúcio, queremos, enfim, prestar uma nova merecida homenagem àquela extraordinária epopeia italiana no Brasil que celebramos, poucas semanas atrás, em 21 de fevereiro, por ocasião do dia dedicado pelo Brasil à imigração italiana. De fato, trata-se de dois aspectos historicamente relevantes que, embora com características diferentes, merecem análoga ênfase e reconhecimento: por um lado, o corajoso pioneirismo de um dos maiores navegadores que a história da humanidade jamais viu nascer; por outro, a coragem igualmente épica e exemplar dos nossos imigrantes que desembarcaram por primeiro, nas costas do Espírito Santo.

Fabio Porta é sociólogo, coordenador do Partito Democratico (PD) na América do Sul, deputado eleito por duas vezes pela Circunscrição Exterior no Parlamento italiano.  Autor de numerosos artigos e publicações em jornais italianos e estrangeiros, é presidente da Associação de Amizade Itália-Brasil; Vice Presidente do ICPE (Instituto para a Cooperação com os Países do Exterior) e Vice Presidente da Associação “Focus Europe”.

E-mail: contato@fabioporta.com   

Visite o site: https://fabioporta.com 

RELATÓRIO OFICIAL PROGETTO FORUM AMERIGO VESPUCCI 

Amerigo Vespucci , Firenze 9 marzo 1454

Il 9 marzo del 1454 nasceva a Firenze Amerigo Vespucci, colui che a ragione possiamo considerare il vero grande pioniere della presenza italiana in Brasile, nonchè colui che comandò la prima grande spedizione in terra brasiliana nel 1499, con buona pace del portoghese Pedro Alvaro Cabral.

L’Associazione di Amicizia Italia-Brasile, a conclusione dell’anno commemorativo promosso dal “Forum Amerigo Vespucci” diretto da Leonel Ribeiro, ha deciso di sostenere il progetto di presentazione presso l’UNESCO della candidatura delle spedizioni di Vespucci in Brasile e nel continente americano quale patrimonio dell’umanità.

Navigatore esperto e audacissimo, il fiorentino Amerigo Vespucci divise con Cristoforo Colombo la gloria della scoperta dell’America. Nel corso di due viaggi (1499 e 1501) esplorò per primo quasi tutta la costa atlantica dell’America Meridionale. Fu lui a rendersi conto che le terre appena scoperte non erano parte dell’Asia ma un Nuovo Mondo, che nel 1507 l’umanista e cartografo tedesco Martin Waldseemüller propose di chiamare in suo onore “Americi terra”, o America.   Fu sempre lui il primo europeo a entrare nella “Bahia de todos os Santos” il giorno di Ognissanti del 1501, per poi approdare a Rio il primo gennaio del 1502. 

Per noi italiani e per i milioni di italo-discendenti in Brasile tutto ciò deve costituire certamente un ulteriore motivo di orgoglio; un riferimento storico che rafforza, se ce ne fosse bisogno, ancora di più l’indissolubile legame tra i nostri due popoli, prima ancora che tra i due Paesi.

La storia dell’Italia in Brasile, quindi, viene da molto lontano e precede di qualche secolo la grande ondata migratoria della fine dell’ottocento; in altre occasioni abbiamo anche avuto modo di ricordare l’importantissimo e spesso dimenticato ruolo di un’altra illustre antesignana della presenza italiana in terra brasiliana, l’imperatrice Teresa Cristina di Borbone.   Fu grazie a lei, come magistralmente ricordato e documentato dal libro “Una napoletana imperatrice ai tropici” del compianto Nello Avella, se in Brasile arrivarono le prime maestranze di artigiani e artisti dal sud dell’Italia.

Con i 566 anni dalla nascita di Amerigo Vespucci vogliamo infine rendere un nuovo dovuto omaggio a quella straordinaria epopea italiana in Brasile che poche settimane fa, il 21 febbraio, avevamo celebrato in occasione della giornata dedicata dal Brasile all’immigrazione italiana.   Si tratta infatti di due aspetti storicamente rilevanti che, pur con caratteristiche diverse, meritano analoga enfasi e riconoscimento: da un lato il coraggioso pionerismo di uno dei più grandi navigatori che la storia dell’umanità abbia mai visto nascere; dall’altro il coraggio altrettanto epico ed esemplare dei nostri immigrati che sbarcarono per primi sulle coste dello Espirito Santo.

Fabio Porta  è sociologo, Coordinatore del Partito Democratico (DP) in Sud America, due volte deputato, eletto dalla Circoscrizione straniera al Parlamento italiano. Autore di numerose pubblicazioni e articoli per giornali italiani e stranieri, è presidente dell’Associazione di Amicizia Italia-Brasile; Vice Presidente dell’ICPE (Istituto per la Cooperazione con i Paesi Esteri) e Vice Presidente dell’Associazione “Focus Europe”.

Email: contato@fabioporta.com 

Visita il sito: https://fabioporta.com/ 

RELATÓRIO OFICIAL PROGETTO FORUM AMERIGO VESPUCCI