Facebook

Itália e Coronavírus: 6.700 pessoas retidas no porto de Civitavecchia

Seis mil e setecentas pessoas estão presas, em um navio de cruzeiro da companhia Costa Crociere, no Porto de Civitavecchia, na Província de Roma, por causa de sintomas suspeitos de coronavírus, incluindo febre alta, encontrados em uma mulher de origem asiática, originária de Macau, no sul da China, que se encontra a bordo. O esposo da mulher também foi isolado dos demais passageiros.  

A equipe de trabalho de emergência interveio, foi acionado o protocolo de emergência por coronavírus e o Ministério da Saúde da Itália foi alertado. As amostras já foram coletadas e levadas a Roma para verificação. 

Milhares de passageiros e funcionários ainda estão a bordo. Os ônibus, trens especiais, carros com motorista e táxis prontos para a transferência de passageiros de cruzeiros para Roma estão estacionados, vazios, na praça em frente ao porto. 

O navio "Costa Smeralda" efetuou escalas nas cidades espanholas de Palma de Maiorca, Barcelona e ainda em Marselha, em França, antes de chegar ao porto de Civitavecchia, perto de Roma.

Italianos repatriados

O governo italiano decidiu que e os italianos que serão repatriados de Wuhan na China, devido à epidemia de Coronavírus, serão colocados em quarentena. "Estamos trabalhando para garantir que um voo saia na quinta-feira e tente coletar os 60 italianos que pedem para retornar", explicou o ministro da Saúde Roberto Speranza, ao Corriere della Sera, "é preciso manter a atenção elevada, mas não fazer alarmismo. Na Itália, temos os mais altos controles. Pedi uma reunião urgente de ministros europeus para entender como lidar com a situação ", complementou. (Com informações de Libero Quotidiano)