Facebook

Brasileiro morre na Itália, após incendiar o próprio corpo

O caso ocorreu em Altopascio, comune com cerca de 11.000 habitantes, na província de Lucca, na região da Toscana, na última segunda-feira (13). O brasileiro Edson Filho Pinheiro Da Silva, de 42 anos, transexual, na iminência de ser despejado, ateou fogo sobre si mesmo e incendiou o apartamento em que residia. Ele foi socorrido por moradores e levado ao hospital pelo serviço médico de emergência, vindo a falecer, algumas horas depois. 

O drama se desenrolou brevemente. Era por volta de 12 horas, quando o oficial de justiça chegou ao apartamento térreo, do prédio de três andares, com a liminar pra a execução do despejo: ele tocou a campainha, revelando sua identidade, mas ninguém lhe abriu a porta. 

Em vista disso, o oficial decidiu ligar para a polícia, que chegou, em seguida, ao local. Nesse momento, foi sentida uma explosão, vinda de dentro do apartamento, seguida por gritos de desespero do homem, que correu para fora coberto de chamas. 

Presumivelmente, ele borrifou-se com líquido inflamável e também deve ter deixado o gás de cozinha aberto, porque um incêndio violento invadiu as instalações da residência.

Quando o alarme disparou no prédio, os bombeiros correram para extinguir as labaredas que saíam da cozinha e devoravam os móveis dos demais cômodos, enquanto o centro de operações do "118" enviava o helicóptero Pegaso para efetuar o resgate da vítima. 

Edson foi levado para o hospital Cisanello, em Pisa, onde foi internado em estado grave, com queimaduras muito extensas e profundas, em 70% do corpo. Algumas horas depois, à noite, ele não resistiu aos ferimentos e faleceu. 

Segundo foi noticiado pela imprensa, há muito tempo ele estava com dificuldades com o pagamento do aluguel e o proprietário da casa (pessoa física) decidiu apelar ao tribunal para resolver o problema

Além do apartamento onde ele morava, o do andar seguinte, acima do seu, também ficou parcialmente danificado, com danos estruturais no piso. Durante a ação dos bombeiros, os vizinhos foram, temporariamente, evacuados, por precaução. Uma família, a mãe e dois filhos, que morava no andar superior, foi resgatada pela polícia. As crianças foram levadas ao hospital para exames, mas não tiveram ferimentos. 

Conforme depoimentos de moradores, a situação no prédio era particularmente delicada: as relações entre os transeuntes e a vizinhança eram difíceis e o inquilino já havia se enfurecido outras vezes, ao ponto de ser necessário recorrer à intervenção policial. (Com informações de NoiTV)